segunda-feira, 5 de março de 2012

THE HUNGER GAMES (The Hunger Games #1)

EDIÇÃO PORTUGUESA: Os Jogos da Fome (Presença)
AUTORA: Suzanne Collins
EDITORA: Scholastic
ANO: 2008
PÁGINAS: 454

A literatura (e cinema, já agora) juvenil tem tendências. Durante uns anos foca-se num determinado tema e quando esse tema se esgota passa a outro. Há uma década atrás era magia e feiticeiros, desde meados da década passada era vampiros e outras criaturas sobrenaturais. Actualmente existem duas tendências: distopias futuristas e contos-de-fada com um tom mais negro.

THE HUNGER GAMES, o primeiro livro de uma trilogia, é um exemplo do primeiro caso. Num futuro longínquo, nas cinzas daquilo que costumava ser a América do Norte, surgiu Panem, uma nação dividida em um Capitólio e doze distritos. A uma dada altura, os distritos rebelaram-se contra o Capitólio, iniciando uma guerra que acabaram por perder. Como castigo, o Capitólio criou os Jogos da Fome, uma sangrenta competição em que 24 jovens entre os doze e os dezoito anos (um rapaz e uma rapariga de cada distrito) são forçados a lutar até à morte numa arena recheada de perigos. O último sobrevivente é declarado vencedor. A narradora e personagem principal deste livro é Katniss Everdeen, uma jovem de 16 anos que se oferece para tomar o lugar da irmã mais nova quando a mesma é escolhida para representar o seu distrito.

Há algo que me costuma irritar particularmente na literatura juvenil: a heroína. Normalmente vemos raparigas que são pouco mais do que donzelas em apuros, muito delicadas, muito preciosas, irremediavelmente apaixonadas e dispostas a aturar qualquer coisa de um homem desde que ele seja atraente. O que mais me agrada neste livro é que a heroína não é mesmo nada assim: Katniss é forte, determinada, inteligente e perfeitamente capaz de sobreviver sozinha, mostrando ao mesmo tempo uma enorme sensibilidade e respeito para com os outros. Não se pode dizer que não exista aqui romance, mas está lá na dose certa e nunca faz ninguém agir como um tontinho.

Outra coisa de que gosto é todos os pormenores que nos são dados relativamente a este universo pós-apocalíptico: a História, as pessoas, a paisagem, os lugares, tudo é descrito de forma tão realista que nos leva a pensar na muito real possibilidade de o nosso mundo chegar a esse ponto. E em como um pequeno gesto pode iniciar uma revolta.

THE HUNGER GAMES é um livro cheio de acção e suspense, que nos agarra até à última página. A este segue-se CATCHING FIRE, que irei ler em breve.

CLASSIFICAÇÃO: 9/10

“No, when the time comes I’m sure I’ll kill just like everybody else. I can’t go down without a fight. Only I keep wishing I could think of a way to… to show the Capitol that they don’t own me. That I’m more than just a piece in their Games.”

POSSIBILIDADES CINEMATOGRÁFICAS: Existe um filme, que estreará no final deste mês.

Sem comentários: