sexta-feira, 7 de agosto de 2009

O ANO TEM DOZE HOMENS

AUTORA: Martina Paura
EDITORA: Asa
ANO: 2005
PÁGINAS: 400

O ANO TEM DOZE HOMENS é o primeiro romance da escritora alemã Martina Paura. Pia Herzog é astróloga e escreve horóscopos para a XX, uma revista feminina. Insegura e um pouco neurótica, Pia tem uma discussão com o namorado, Stefan, que a deixa para começar uma relação com outra mulher (para piorar a situação, essa outra mulher é a chefe de Pia). Furiosa e despeitada, Pia faz uma aposta com Tanja, a melhor amiga: durante um ano Pia vai ter relações sexuais com um homem de cada signo, não se podendo apaixonar e tendo que acabar a relação logo depois do acto sexual. Algo que parece fácil de início, torna-se uma tarefa complicada, pois alguns dos homens são bastante apetecíveis. Aquilo que começa por ser uma aposta resultante de um coração partido, torna-se num processo de aprendizagem.

À primeira vista, O ANO TEM DOZE HOMENS parece um romancezinho de Verão, algo para ler na praia sem ter que puxar muito pela cabeça. No entanto, consegue ser um pouco mais que isso: consegue ser uma reflexão relativamente cuidada sobre o amor e as suas dificuldades no mundo contemporâneo. Pia vai percebendo que, apesar do sexo com alguns daqueles homens ser bastante satisfatório, não lhe chega para atenuar a solidão; o que o corpo faz não preenche o coração.

O humor deste livro é genuíno e consegue fazer soltar algumas gargalhadas sinceras. As personagens mais importantes são surpreendentemente complexas e estão bem desenvolvidas. Não gosto muito do final, parece-me um pouco apressado e (desculpem a expressão) lamechas. O ANO TEM DOZE HOMENS é, no entanto, uma leitura extremamente agradável e não tão light como se possa pensar.

CLASSIFICAÇÃO: 7/10

"No ano passado, planeei começar a fumar, dar uma queca com cada signo e ser uma nova pessoa. E parti erradamente do princípio de que, ao alcançar os
dois primeiros objectivos, o terceiro se iria realizar automaticamente. Mas será
que sou uma nova pessoa, só porque alterei a minha maneira de ser?"

Sem comentários: